Claudia Raia

“Feminismo é uma coisa que me soa mal”, dispara Claudia Raia



No ar a partir desta segunda-feira (03) em “A Lei do Amor”, Claudia Raia falou sobre a personagem que viverá na trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari.

A atriz será Salete, mulher que fica viúva e herda do marido um posto de gasolina falido. Como forma de recuperar o negócio, ela contrata frentistas bonitões para atender a freguesia.

“Não é um personagem de comédia, mas conversa com a comédia. É a luz da novela, supersolar. O posto de gasolina é o point da cidade, onde todo mundo para e pede ajuda à Salete. Ela é o coração da cidade”, explicou Raia em entrevista ao site “Ego”.

Claudia esclareceu que o seu papel está longe de ser vulgar. “É uma mulher livre, que vive a vida, uma heroína livre. Te essa coisa devoradora de homens. Ela sai com os bofinhos dela, que são frentistas, mas sem compromisso. Depois vira até madrinha de casamentos deles. Ela é amada pelos meninos”, contou.

Apesar da proposta, a atriz enfatizou que a ideia está longe do feminismo. “Feminismo é uma coisa que me soa mal. Tudo o que é dramático e radical, acho estranho. Na vida, temos que ter equilíbrio. Acho que a mulher tem seu lugar, assim como o homem também, e as coisas se misturam”, opinou.

“Hoje a mulher está mais masculina e, o homem, mais feminino. Ainda bem! Antigamente não tínhamos isso e era algo insuportável. Acho que Salete traz isso… Ela tem uma coisa masculina porque comanda o posto, é forte, corajosa, mas é extremamente feminina”, concluiu Claudia Raia.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.